Apostas de Futebol com Betway

O novo Flamengo em 2016

Foram 3 anos de correria e replanejamento das contas, mas que valeram a pena pois o Flamengo agora está de volta ao topo dos times do Brasil, com um belo time capaz de brigar por todas as competições que disputa.

Em 2013, ano em que a nova diretoria tomou posse, foi avisado aos torcedores que não só de exorbitância e glamour se faz um time de futebol. As contratações caras, loucuras financeiras e irresponsabilidade fiscal, que eram muito presentes em diretorias anteriores, dariam vez a uma gestão responsável e pé-no-chão, que trazia consigo uma promessa: tornar o Flamengo a potência que é capaz de ser. Todo um trabalho foi feito, ao longo da gestão de Eduardo Bandeira de Mello, para que fosse explorado ao máximo todo o potencial financeiro do Mais Querido. Dívidas estavam sendo pagas, os jogadores recebiam em dia, limites orçamentários eram respeitados. Tudo indicava que o Fla estava no caminho certo para, enfim, passar de um clube devedor para um pagador. Os superávits vieram, ano após ano. O limite para contratações também foi crescendo. Hoje, em 2016, o torcedor flamenguista pode observar essa bonança de perto. E isso reflete diretamente no que é o time rubro-negro atualmente.

Depois de ficar dois anos com times fracos e medianos o Fla finalmente pode se gabar de ter um belo elenco este ano. Os torcedores que estavam acostumados com grandes nomes em 2014 como Elano, Cáceres e André Santos, podem voltar a se alegrar neste ano com contratações como Réver e Diego. A maioria de grandes jogadores que teria vaga em qualquer time do Brasil. A diretoria até tentou se planejar desde o começo da temporada com o técnico Muricy Ramalho que não deu certo. Os métodos do treinador que chegou a passar um tempo aprendendo no Barcelona não deram certo e o treinador acabou sendo demitido. Isso não é o mais importante. O time estava pronto, só precisava de um bom técnico para poder tirar os nomes do papel. Então apareceu Zé Ricardo.

Com uma visão moderna do futebol, Zé conseguiu transformar um time que oscilava desde o começo do Brasileiro em um time regular, com estilo de jogo e nuances táticas bem definidas, que vem, cada vez mais, fazendo ótimos jogos e se fixando na parte de cima da tabela. É bem fácil perceber o que ele faz atualmente. Já que busca uma certa maneira de jogar, Zé escala seus times baseados nesse padrão que almeja. Isso faz com que certos jogadores, mais qualificados tecnicamente, fiquem na reserva para outros menos qualificados, mas que se encaixam melhor na filosofia do treinador rubro-negro. É o que acontece quando Márcio Araújo, Gabriel e Éverton são titulares, enquanto Alan Patrick, Mancuello e Cuellar são reservas.

As táticas do Flamengo

Como é o estilo de jogo?

O Flamengo tem uma filosofia bem definida quando está atacando. Prioriza a posse de bola, sempre tendo paciência. Algumas tendências são observadas:

– Linha alta de zagueiros: Réver e Rafael Vaz, titulares incontestáveis, além de serem ótimos defensores, têm uma qualidade diferenciada no passe. Por isso, participam bastante da saída de bola, geralmente próximos à linha do meio campo. Isso faz com o que time adversário fique “acolhido” no seu campo de defesa, facilitando uma pressão flamenguista para recuperação da bola em caso de perda.

– Laterais dando amplitude: conceito moderno do futebol, altamente explorado nas grandes ligas europeias.

Quando tem a bola nos pés os laterais jogam praticamente como alas avançados abrindo o jogo. Isso ajuda muito pois o meio de campo consegue muito mais jogadores por perto dando a opção de passe. Além disso, fazem com que a marcação adversária abra e deixe os jogadores centrais com bastante espaço para criarem jogadas e chutarem a gol, já que tem jogadores como Diego que pega bem de fora da área. E mesmo assim ainda conseguem ter jogadas interagindo pelos lados do campo com os outros pontas. Caso de Everton e Gabriel. Nas ultimas partidas o Flamengo fez muitos gols fazendo essa triangulação entre o meia e os pontas. Marcio Araújo carrega o piano, ele não tem ambições de ser o melhor. Acaba abdicando do ataque para poder segurar o jogo e ajudar na saída de bola da defesa. Tem jogado como um monstro e auxiliado a defesa nos ataques adversários. Hoje o jogador é incontestável no time de Zé Ricardo.

Ao defender, o rubro-negro faz muito bem o básico. Aproxima bastante as duas últimas linhas de 4. Aí entra mais um fator para a escalação de pontas rápidos, como Gabriel e Éverton, em vez de Alan ou Mancuello: os dois primeiros são muito rápidos e ajudam a “fechar” as extremidades do campo junto com os laterais, impedindo, assim, que o adversário tenha superioridade numérica pelas pontas. É, em geral, um time de muita entrega, funções bem definidas e alta compactação defensiva.

Ultimas ideias

O que falamos aqui é consequência do bom trabalho do treinador. Aquilo que Muricy não teve capacidade de fazer. Zé Ricardo parece ter conseguido ajeitar totalmente o Flamengo para essa reta final de Brasileiro atrás do título. Ainda que não conquiste o título, o trabalho bem feito foi importante para começar a próxima temporada com o time pronto. Assim se fazem equipes vitoriosas. É preciso ter uma sequencia para poder crescer e ganhar no futebol. E nisso os cartolas do Flamengo estão fazendo sua parte.

Desde 2013 estão nesse projeto, tudo com o objetivo de tornar o rubro-negro um dos grandes expoentes do futebol brasileiro. Estão conseguindo. Há poucos dias, Rodrigo Caetano, diretor de futebol do clube, anunciou uma verba de R$70 milhões para contratações em 2017. Trata-se de uma quantia absurda, que servirá para fortalecer o já muito forte elenco rubro-negro.

Isso é um belo exemplo de um bom trabalho vindo de diretores competentes que querem o melhor para o clube e não para si mesmo, onde estão fazendo com o Flamengo volte ao nível que era antigamente. Entre os melhores. O que nos resta é esperar para ver se outros clubes vejam o Flamengo como exemplo deixando nosso futebol muito mais próspero, competitivo e atrativo.

O futebol só tem a ganhar com o trabalho planejado e responsável e o Flamengo é a prova disso.

Other Articles

Leave a Reply