Apostas de Futebol com Betway

Por que Jordan Henderson merece ser o melhor jogador do ano

O capitão do Liverpool tem estado em excelente forma nos jogos dos dos Reds pela Premier League durante toda a temporada.

A lesão de Henderson neste mês, com a expectativa de que o capitão do Liverpool perca três semanasde jogos, pode trabalhar a seu favor quando se trata de ganhar os prêmios de jogador do Ano na Premier League.

A ausência de Jordan Henderson no meio-campo poderia destacar ainda mais sua importância no time que vem quebrando recordes de Jurgen Klopp.

Na segunda-feira à noite, depois que de o Liverpool  registrar sua 18ª vitória consecutiva na liga, os companheiros de equipe Andy Robertson e Trent Alexander-Arnold admitiram ter perdido a influência do capitão.

“Quando você não tem seu capitão todo o time sente”, disse Robertson.

“Hendo é um verdadeiro líder. Ele estava no vestiário antes de dizer algumas palavras e era exatamente o mesmo de sempre antes dos jogos, e estava lá novamente depois do jogo.”

“Foi bom tê-lo lá. Todo mundo odeia ficar de fora e o Hendo não é diferente. Quanto mais rápido ele voltar, melhor será para todos nós.”

Jordan Henderson e Robertson

“Ele é alguém que você provavelmente não percebe o quanto ele faz pela equipe até que ele realmente não esteja lá”, avaliou Alexander-Arnold

Não que as opções do meio-campo do Liverpool sejam ruins, com Fabinho e Gini Wijnaldum os dois garantidos entre o trio de meias, deixando Naby Keita e Alex Oxlade-Chamberlain lutando pela vaga de Henderson.

Na segunda-feira, foi Keita quem teve a oportunidade de começar o jogo, mas o guineense novamente não conseguiu aproveitá-la e foi substituído, com os Reds perdendo por 2 a 1. Oxlade-Chamberlain entrou em seu lugar, e mudou o jogo para o Liverpool, deixando bem claro suas intenções.

“Precisávamos dessa direção”, admitiu Klopp após a partida, pois a introdução e a energia de Oxlade-Chamberlain também entusiasmaram o público de Anfield. “A dinâmica ajudou”, disse Klopp.”

O que a meia hora de Oxlade-Chamberlain também fez, foi destacar a falta de influência de Keita no primeiro tempo, com o ex-meio-campista do Arsenal criando mais chances, completando um número de passes importantes e recuperando a bola pela mesma quantidade de vezes, além de ter um melhor desempenho.

Minutos antes da substituição, primeiro Klopp e depois seu assistente, Pepijn Lijnders, gritaram e gesticularam para que Keita seguisse em frente, pois ele se recusava a avançar em sua posição no meio-campo, muitas vezes mais próximo do meia Fabinho, do que do meia-atacante.

Foi mais uma oportunidade perdida paor Keita, um jogador que está sendo perseguido por lesões desde sua chegada a Anfield em 2018.

Talvez Keita possa se inspirar no homem que herdou a braçadeira de Gerrard. As duas primeiras temporadas de Henderson no Liverpool foram igualmente decepcionantes.

Vindo do Sunderland por 16 milhões de libras em 2011, a primeira temporada de Henderson o levou a um papel ortodoxo desconhecido no meio-campo por Kenny Dalglish. Claramente, não era sua melhor posição e Dalglish não favoreceu o jovem ao coloca-lo lá, ao mesmo tempo em que marginalizou jogadores experientes como Dirk Kuyt e Maxi Rodriguez.

Até a chegada de Brendan Rodgers, Henderson tinha um papel mais centralizado, percorrendo o meio-campo à frente de Gerrard. Isso foi até a chegada de Klopp, de maneira discutível, que converteu Henderson para um papel no meio-campo até o meio da temporada passada.

A chegada de Fabinho e a sua eventual influência no meio-campo incentivaram Henderson a pedir a Klopp que o interpretasse no papel área a área novamente.

Ironicamente, foi o a falta de Fabinho de novembro a janeiro que fez Henderson voltar ao papel de titular e, sem dúvida, jogar o melhor futebol de sua carreira no Liverpool. O próprio jogador admitiu que aprendeu com Fabinho vários macetes. Talvez esse desejo de aprender, juntamente com sua determinação em garantir que o título não o iluda nesta temporada, tenha sido o que o inspirou.

Liverpool Campeão

“O Hendo é excepcionalmente importante, e não apenas por razões futebolísticas”, disse Klopp na semana passada, o treinador nunca se esquiva de elogiar a influência de seu capitão no vestiário e em Melwood, o campo de treinamento do clube .

Chegar ao título é o objetivo número um nesta temporada, e o capitão está ajudando nisso depois de chegar tão perto na temporada passada na Premier League.

De acordo com fontes de dentro do clube, Henderson se recusa absolutamente a permitir qualquer conversa sobre o título em torno de Melwood, e recentemente ele mostrou isso publicamente quando Sadio Mane foi questionado sobre o assunto em uma entrevista pós-partida ao lado de seu capitão.

Henderson é o único jogador remanescente no clube a partir da temporada 2013/14, e a maneira comovente em que isso terminou, então ele, mais do que a maioria, tem motivos para garantir que o foco permaneça e nada distraia esse elenco.

Os contratempos

Desde a falta do título em 2014, quando ele teve que ficar de fora dos três últimos jogos devido à suspensão, até a conquista de 97 pontos na temporada passada e ainda não levantar o troféu – levaram Henderson a evoluir até este ponto hoje.

Ele também teve sua parcela de problemas pessoais a serem superados: lesões, sendo convidado a se mudar para Fulham por Rodgers, críticas em seus primeiros dias em Anfield. 

Mas ele os resolvia tranquilamente e não deixava nada atrapalhar. No segundo jogo das semifinais da Liga dos Campeões do ano passado, em Anfield, ele recebeu uma pancada no final do primeiro tempo, mas, como Klopp disse em palestra no intervalo, o capitão não estava no vestiário, estava em uma bicicleta ergométrica na sala de aquecimento do outro lado do corredor, garantindo que não se enrijecesse o músculo e ainda pudesse jogar o segundo tempo.

É isso que Klopp quer dizer quando fala da influência e importância de Henderson no clube dentro e fora do campo. Estes são os exemplos que você precisa de um verdadeiro capitão.

E, embora alguns possam facilmente argumentar que Mané em particular tenha sido o “melhor” jogador do Liverpool nesta temporada, nem sempre se trata de quem teve o melhor desempenho. Basta olhar para Ryan Giggs que ganhou o jogador do ano PFA de 2008/09, apesar de começar apenas 15 jogos como titular na liga.

Às vezes, são a história e as qualidades do jogador como pessoa que influenciam e, nesse caso, Henderson deve ser o vencedor.

Ele teve altos e baixos como jogador do Liverpool, mas é a atitude e a aplicação mostram que é Henderson. Isso deve continuar nas próximas semanas com o título da Premier League e o prêmio de Jogador do Ano.

Other Articles

Saiba tudo sobre Jadon Sancho

Leave a Reply