Apostas de Futebol com Betway

Hegemonia do Bayern de Munique na Alemanha

É impossível falarmos de futebol alemão sem citarmos a hegemonia do Bayern de Munique.

Afinal, o Bayern de Munique é o maior campeão alemão de forma disparada, com incríveis 30 títulos!

Comparando com seus principais rivais, a hegemonia se torna ainda maior e mais visível.

Isso porque depois dos bávaros, os maiores campeões são Nuremberg, com 9 títulos, Borussia Dortmund com 8, e Schalke 04 com 7 títulos.

Outro fator que impressiona é que o Bayern de Munique é o atual octacampeão da Bundesliga, vencendo de forma direta desde a temporada 2012/2013.

O último campeão alemão sem ser os bávaros foi o Borussia Dortmund de Jurgen Klopp, bicampeão nas temporadas 2010/2011 e 2011/2012.

Constância nas cabeças impressiona

Hegemonia do Bayern de Munique passa por sequência incrível de vezes que o time esteve no G4 da Bundesliga

Para além da hegemonia do Bayern de Munique no quesito títulos, essa hegemonia ocorre de forma ampliada, a partir da constância.

Isso porque além dos 30 títulos conquistados, o Bayern de Munique se acostumou a lutar por títulos e por competições europeias.

Nos últimos 20 anos a pior classificação o clube foi um 4º lugar, na temporada 2006/2007, comprovando essa constância da equipe bávara.

Ampliando-se esse campo de visão, desde o início da Bundesliga, que ocorre desde a temporada 1965/1966, em 57 edições, apenas 7 delas não contou com o Bayern de Munique no G4.

Mesmo assim, em apenas 1 edição de Bundesliga o Bayern de Munique não ficou no G10, fato que ocorreu na temporada 1977/1978.

História explica o presente

Franz Beckenbauer, Gerd Muller e Sepp Maier são três ídolos da história bávara

Criado em 1900, a hegemonia do Bayern de Munique se iniciou em sua primeira participação na Bundesliga, já foi campeão, na temporada 1965/1966.

A partir disso, a equipe se notabilizou por ter uma base forte e por ser expert em negociações, tendo 6 jogadores convocados para a Copa do Mundo de 1974, em que a Alemanha foi campeã com o protagonismo de jogadores como Franz Beckenbauer e Gerd Muller, ambos jogadores bávaros.

Tomando por base o período de 1965 à 1981, jogadores do Bayern de Munique foram eleitos Melhor do Ano 11 vezes, sendo 4 conquistas de Franz Beckenbauer, 3 de Sepp Maier, 2 de Gerd Müller, 1 de Karl-Heinz Rummenigge e 1 de Paul Breitner.

Além disso, na década de 70 o Bayern de Munique se colocou também como potência mundial, conquistando por três vezes a Taça Europeia, atual Champions League, nas temporadas 1973/1974, 1974/1975 e 1975/1976.

Após isso, o clube se consolidou como potência para além da Alemanha, único clube a ganhar respeito em toda Europa.

Isso foi determinante para colocar a equipe em outro patamar tanto em respeito, como em captação financeira, bem como o desejo dos melhores em jogarem pelo Bayern de Munique.

Somada a uma gestão eficiente, o Bayern passou a sobrar na Alemanha a partir do início do século XX.

Hegemonia do Bayern de Munique no mercado alemão

Atual elenco do Bayern de Munique é recheado de atletas que vieram de rivais alemães (Photo by Christof Stache/Pool via Getty Images)

Além de produzir craques, a hegemonia do Bayern de Munique também passa por um olhar atento ao mercado alemão.

Com dinheiro em caixa é possível fazer boas compras e ao mesmo tempo enfraquecer o adversário: dois em um!

Assim aconteceu com Manuel Neuer por exemplo, atual ídolo do Bayern de Munique que deixou o Schalke 04 em 2011 para ser o goleiro bávaro e da seleção alemã.

Além deles, outros tantos jogadores saíram de equipes alemãs para fazerem história no Bayern de Munique.

Exemplos são Lothar Matthaus (ex-Borussia Monchengladbach), Michael Ballack (ex-Bayer Leverkusen) e Robert Lewandowski (ex-Borussia Dortmund).

Contudo, essa é uma prática que se tornou comum no Bayern de Munique, o que ajuda a explicar sua hegemonia na Alemanha.

Só do seu principal rival, Borussia Dortmund, nas últimas temporadas, o Bayern de Munique comprou Gotze, Lewandowski, Hummels.

Além disso, só no último ano o Bayern de Munique contratou Benjamin Pavard, junto ao Stuttgart e Michael Cuisance, que veio do Borussia Monchengladbach.

Ampliando-se para as últimas três últimas temporadas chegaram nomes como Leon Goretzka (ex-Schalke 04), Serge Gnabry (Werder Bremen) e Niklas Sule (ex-Hoffenheim).

Além disso, o Bayern de Munique é o único time alemão que atualmente tem poder de compra para trazer craques de nível mundial.

Por outro lado, seus principais rivais, atualmente Borussia Dortmund e RB Leipzig, investem prioritariamente em jovens promessas.

Enquanto são lapidadas veem o Bayern de Munique doutrinando na Bundesliga.

Com isso, a hegemonia do Bayern de Munique tem se concretizado cada vez mais na Alemanha.

Agora a equipe quer voltar ao protagonismo também na Europa, já que sua última conquista foi na temporada 2012/2013.

Other Articles

Top 5 decepções pós pandemia

Leave a Reply