Brazil_3_sports_728x90_BR

A força da geração inglesa

Atualmente em processo de reformulação na seleção, a geração inglesa vem forte!

Conhecida mundialmente por ser o país que inventou o futebol, a Inglaterra quer voltar ao protagonismo no esporte.

Por um lado, esse processo já começou há tempos, com a Premier League sendo considerado a melhor competição do mundo.

No entanto, quando olhamos para o Coeficiente das ligas da UEFA, a Premier League ainda está atrás da La Liga.

Mas se depender dos clubes ingleses isso não vai durar muito tempo e o campeonato inglês será o melhor da Europa também na estatística.

Para isso, os clubes tem investido de forma pesada, com as equipes inglesas voltando ao protagonismo também no cenário europeu.

Exemplo recente disso foi a temporada 2018/2019.

Na Champions League o Liverpool bateu o Tottenham e sagrou-se campeão, vencendo posteriormente o Mundial de Clubes contra o Flamengo.

Boa geração inglesa tem demonstrado seu valor nas principais competições europeias

Já na Europa League, o Chelsea venceu o Arsenal e foi campeão da “Sul-Americana” europeia.

Contudo, o projeto inglês de se definitivamente o melhor do mundo em todas as esferas passa por duas frentes: Premier League e seleção.

Premier League para o mundo ver

Objetivo da Premier League é ter os melhores jogadores do mundo

Para além de ser considerada a melhor liga do mundo, os ingleses estão dando condições para que os clubes se tornem poderoso.

Com isso, aumenta a competitividade entre os clubes e o campeonato se torna mais disputado e emocionante.

Dessa forma, não é nenhuma surpresa o lanterna vencer o líder ou times maiores perderem para alguns dos menores.

Maior exemplo disso foi a goleada de 7×2 do Aston Villa para cima do Liverpool, que estava com seu time titular.

Goleada histórica do Aston Villa sobre o atual campeão demonstra equilíbrio da Premier League

Além disso, vemos a soberania inglesa também no mercado de transferências.

Mesmo na pandemia clubes inglesas investiram alto em contratações

Mesmo em meio à pandemia da Covid-19, os 20 clubes da Premier League gastaram 1,43 bilhão de euros em reforços.

Os números são ainda mais surpreendentes se compararmos com as demais ligas do Top 5 europeu.

Na Bundesliga foram gastos 322 milhões de euros, na La Liga 406,6 milhões de euros, na Ligue 1 444 milhões de euros e na Série A Tim 763,1 milhões de euros.

Apenas o Chelsea gastou 247,2 milhões de euros em reforços!

Já o Manchester City investiu 163,3 milhões de euros.

Esse valor somado dá 410,5, mais do que o gasto total de todos os clubes da Bundesliga ou da La Liga.

Chelsea impressionou com gastos acima de 1 bilhão de reais na janela atual

Contudo, as equipes fora do Big 6 também investiram muita grana para qualificarem seus elencos.

O recém promovido da Championship, Leeds United, gastou incríveis 106,8 milhões de euros em reforços.

Além disso, Aston Villa gastou 82,3 milhões de euros e Wolverhampton 81,8 milhões de euros, demonstrando a força das equipes da Premier League.

Tamanho investimento é apenas uma das duas frentes que a Inglaterra trabalha para ter o melhor futebol do mundo.

Seleção como símbolo da geração inglesa

Com muitos jovens promissores, geração inglesa promete muita força nos próximos anos

A segunda forma de voltar a ser protagonista a nível global é por meio da seleção inglesa!

Isso porque a seleção possui apenas um título de Copa do Mundo (1966), e enxerga essa geração como a ideal para voltar a trazer um título mundial para os inventores do futebol.

Possíveis nomes que simbolizam uma geração inglesa de muita qualidade não faltam.

No gol surgem bons goleiros, o que sempre foi o calcanhar de Aquiles da seleção.

Na zaga e lateral nomes como Alexander Arnold, Maguire e Chilwell despontam como fortalezas da defesa da seleção.

Já no meio-campo há uma mescla de jogadores experientes como Henderson e outros muitos promissores como Grealish, Rice e Mount.

Por fim, no ataque as opções surgem cada vez com mais força!

Apenas citando alguns nomes temos Sancho, Rashford, Harry Kane, Calvert-Lewin, Abraham, Sterling, etc.

Mas o melhor disso tudo é que a maior parte desses atletas atuam na liga nacional.

Tomando por base a última convocação de Gareth Southgate, apenas Trippier e Sancho não atuam no futebol inglês.

Todos os demais são titulares de suas equipes e vem demonstrando muita qualidade.

Além disso, dos 24 jogadores chamados pelo treinador inglês, 8 deles atuam em equipes inglesas fora do Big-6.

Sancho e Grealish são duas das principais promessas da geração inglesa

Somado a isso está a questão do Brexit, que está em processo de transição, mas deve tornar ainda mais difícil a contratação de estrangeiros.

Com isso, os atletas ingleses serão ainda mais valorizados, juntamente com uma moeda forte (libra esterlina) e com o protecionismo dos clubes.

Através dessas duas vertentes, os ingleses acreditam que poderão voltar ao topo do mundo e serem referências no futebol mundial!

Other Articles

Leeds de El Loco Bielsa

Leave a Reply